CleanScreen na Revista Hydro

A Clean é destaque na edição de abril de 2010 da Revista Hydro, com o lançamento dos tubos filtro e revestimento Clean Screen®.

Confira a matéria abaixo:

Tubos-filtro auxiliam a construção de poços de monitoramento

A obtenção de amostras é um passo fundamental para que uma remediação de água alcance os resultados esperados. Um dos métodos de amostragem e de avaliação desses recursos hídricos utiliza poços de monitoramento. Uma novidade para o setor é a linha Clean Screen® da Clean, de Campinas, SP. “Ela é composta de tubos-filtro e de revestimento utilizados para a construção dos poços”, explica Paulo Negrão, diretor da empresa.

Os tubos são construídos de resina virgem de PVC branco, com grau de pureza certificado para uso em redes de água potável. O projeto seguiu a norma NBR-15495, adotada em 2008, que discute os critérios para os poços de monitoramento de águas subterrâneas em aqüíferos granulados.

Os tubos têm diâmetro interno de 51mm e diâmetro externo de 59,8mm, e estão disponíveis em unidades de 1 e 2 metros. A pressão máxima de operação é de 10,3 kgf/cm2. Para os tubos-filtro, a vazão varia de 0,11 a 0,2 L/s a cada metro. De acordo com Negrão, o processo industrial da abertura das ranhuras no tubo-filtro e a usinagem das roscas nas extremidades não usa líquidos de resfriamento, para que não haja riscos de contaminação. “O maquinário utilizado na operação é especialmente projetado para esse fim e foi importando dos EUA”, explica. Os cuidados são seguidos também na fase pós-produção.

Linha CleanScreen para poços de monitoramento

Não há colocação de selos ou carimbos com a marca da Clean, para que os pigmentos utilizados nessas marcações não se desprendam, o que poderia prejudicar a amostra de água. Além disso, os tubos são embalados individualmente em sacos de polietileno hermeticamente fechados, para evitar contato com possíveis agentes contaminantes durante a estocagem e transporte até o local de uso.

A conexão é feita por roscas com quatro fios tipo flush threaded, as quais seguem o padrão ASTM F480. Segundo Negrão, um diferencial é que a geometria das roscas não exige a colocação das bolsas de conexão, encontradas em tubos geomecânicos tradicionais. Desse modo, há contato mais eficiente entre o tubo e o pré-filtro de areia ou o selo de bentonita, no poço de monitoramento.

O diretor explica que a pesquisa para o desenvolvimento da linha levou cerca de 18 meses e foi realizada em parceria com empresas norte-americanas. Devido ao fato de os tubos terem chegado ao mercado recentemente, ainda não há casos de utilização. Os produtos estão disponíveis em todo o Brasil e nos países do Mercosul.

A Clean foi fundada em 1995, com foco no setor de monitoramento ambiental e remediação de águas e solos subterrâneos. Atualmente, a empresa também comercializa produtos de outros fabricantes, como medidores de vazão e nível, sondas e amostradores. Negrão afirma que a empresa é responsável por eventuais reparos e manutenção, com seus funcionários treinados pelos fabricantes desses equipamentos.
“Além disso, contamos com recursos como um laboratório de calibração de sondas de qualidade da água”, diz o diretor.

Clean – Tel (19) 3794-2900
Site: http://www.clean.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: